Papa Francisco e o Caminho Neocatecumenal


 Comunicado de imprensa – Caminho Neocatecumenal

  

 

Bispos da República Dominicana tornam publico o pensamento do Papa Francisco sobre o Caminho Neocatecumenal durante a visita ad limina.

 

Os bispos da República Dominicana tornaram público o vivo encorajamento ao Caminho Neocatecumenal por parte do Papa Francisco, manifestado durante sua vida ad limina este ano. Dado o grande interesse suscitada pela extraordinária resposta de milhares de famílias ao chamado missionário feito pelos iniciadores do Caminho Neocatecumenal Kiko Argüello, na ultima segunda-feira após o Encontro Mundial das Famílias, e também e a enorme atenção pelo Sínodo sobre a Família que terá início dentro de poucos dias em Roma, muitos se perguntaram qual seria o pensamento do Santo Padre a respeito desta realidade eclesial; alguns afirmaram que o Papa fosse contrário ao Caminho Neocotecumanel porque, ao contrário daquilo havia sempre feito São João Paulo II, Kiko Arguëllo, desta vez, não foi convidado para participar do Sínodo.

 

Como resposta a isto, Dom Ramon de la Rosa y Carpio, arcebispo emérito de Santiago de los Caballeros, pediu autorização ao Presidente da Conferência Episcopal da Republicana Dominicana para tornar pública as declarações sobre o Caminho Neocatecumanel que o Papa Francisco fez aos bispos dominicanos durante a visita ad limina em Roma no dia 28 de maio passado. Também o Papa, em uma carta pessoal a Pilar Antelo, responsável pelo Caminho Neocatecumenal na Argentina, autorizou a publicação das suas declarações.

 

Esta é a notificação de Dom Ramon Benito de Rosa y Carpio, Arcebispo Emérito de Santiago de los Caballeros:

 

“Há poucos meses celebramos a visita ad limina dos Bispos Dominicanos. O Santo Padre nos recebeu mudando o protocolo: antes nos recebia um a um por 15 minutos e concluía com uma breve mensagem comum. Desta vez mudou o protocolo recebendo-nos todos juntos e estando conosco por mais de uma hora e meia. Quando falei da existência na República Dominicana de um Seminário Interdiocesano e de dois Seminários Redemptoris Mater, focou o seu discurso sobre o Caminho Neocatecumenal. Pensei que o assunto era de tal importância que imediatamente peguei meu cadernos de anotações e escrevi tudo o que o Papa dizia:

 

  1. Muitas coisas foram ditas a respeito de Kiko Argüello e muitas outras coisas podem se dizer. Mas uma coisa é certa: que é um santo.

 

  1. O Caminho Neocatecumenal é um fruto do Espírito Santo para a Igreja.

 

  1. Portanto, exorto-vos vivamente a sustentar, encorajar e seguir esta Iniciação Cristã.

 

  1. Considero de maneira muito positiva a dimensão missionária das comunidades. Neste ano acabo de enviar mais de cem famílias a países onde não existe ou é escassa a presença da Igreja.

 

  1. A respeito dos Seminários Redemptoris Mater, digo-vos o seguinte: o que seria da diocese de Roma sem o Redemptoris Mater? Acabo de ordenar dezesseis padres e treze eram do Caminho Neocatecumenal. Tirai vós mesmos as conclusões.

 

  1. O Caminho Neocatecumenal restaurou na Igreja a Noite Pascal, que é o centro da vida Cristã.

 

  1. O Caminho Neocatecumenal é aquele que mais sabe sobre a Iniciação Cristã. Consultai e, se necessário, corrigi os catequistas e as comunidades – porque corrigir é amar – mas corrigi-os com os Estatutos em mãos.

 

A publicação foi feita poucos dias apos a visita do papa Francisco aos Estados Unidos, onde milhares de famílias das comunidades neocatecumenais do Estados Unidos, com representantes de todo o mundo, uniram-se ao Santo Padre para o Encontro Mundial das Famílias: segunda-feira, 28 de setembro, aproximadamente 40.000 pessoas participaram de um encontro vocacional presidido pelo Arcebispo da Filadélfia, Dom Charles Chaput, no estádio Wells Fargo Center. Kiko Argüello e Padre Mario Pezzi –  que junto a Carmen Hernández são a equipe responsável pelo Caminho Neocatecumenal no mundo – fizeram um chamado vocacional: 230 jovens ofereceram-se para o presbiterado, 450 moças para a vida religiosa e para a evangelização, e 2.300 famílias, com muitos filhos, ofereceram-se para serem enviadas a qualquer parte do mundo.

 

No encontro de segunda-feira, o Arcebispo Chaput  estava acompanhado por trinta bispos e cinco cardeais, que  disseram palavras de encorajamento e estima pelo trabalho realizado pelas famílias em missão e pelos 105 seminários diocesanos missionários Redemptoris Mater no mundo. O arcebispo recordou que havia falado sobre o Caminho Neocatecumenal com o Papa durante a visita nesta última semana, dizendo que o Santo Padre abençoou uma pedra proveniente do túmulo de São Pedro que será usada como pedra fundamental para o Seminário Redemptoris Mater que se construirá em Filadélfia. “Não há nenhum grupo hoje na Igreja que reflita a vida dos Atos dos Apóstolos melhor que o Caminho Neocatecumenal”, afirmou o arcebispo Chaput às comunidades reunidas no estádio. “Quando os bispos e os fiéis leigos vos veem, aprendem como ser Igreja”.

 

Apenas três meses antes, no dia 6 de março de 2015, o Papa Francisco recebeu mais de 7.000 pessoas das comunidades do Caminho Neocatecumenal no Vaticano e enviou pessoalmente 250 famílias em missão a diferentes partes do mundo. “Hoje confirmo o vosso chamado, sustento a vossa missão e abençoo o vosso carisma”, disse então. Aos iniciadores expressou “a sua gratidão a eles e o meu encorajamento por todo o bem que estão fazendo pela Igreja por meio do Caminho. Sempre digo que o Caminho faz um grande bem à Igreja, é um verdadeiro dom da Providência à Igreja do nosso tempo”.

 

Argüello foi convidado para falar a todas as famílias na vigília de oração organizada pela Conferência Episcopal italiana sábado, 3 de outubro, na Praça São Pedro.